Segunda-feira, 17 de Janeiro de 2022 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  No terceiro encontro do curso de Jornalismo e Direitos Humanos, Rafael Custódio avalia que o sistema judiciário demanda reforma
Texto e foto: Clara Assumpção
  03/10/2016

No terceiro encontro do curso de Jornalismo e Direitos Humanos, Rafael Custódio avalia que o sistema judiciário demanda reforma

Por Clara Assumpção


Na semana em que se completam 24 anos do Massacre do Carandiru e em que o julgamento dos 74 policiais acusados pelo crime foi anulado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, os estudantes do Projeto Repórter do Futuro – módulo Jornalismo e Direitos Humanos debateram o sistema judiciário brasileiro. O terceiro encontro aconteceu no último sábado, 01 de outubro, e teve a participação do coordenador do Programa de Justiça da Conectas, Rafael Custódio, que afirmou que em direitos humanos, o violador é o judiciário pois ele não é aquele que absolve e responde de uma maneira adequada.
 
Em sua palestra, Custódio analisou o processo de formação de conceitos como o de crime e justiça na sociedade. Segundo ele, as leis existentes foram criadas para atender aos anseios das classes dominantes e instituições como o Ministério Público, a Polícia e o Judiciário. “Quando se incrimina uma conduta ou aumenta-se a pena de um crime, o estado já sabe de antemão quem será o alvo dessa lei penal”, ponderou.
 
Custódio acredita ser difícil refutar a ideia de que “todo preso é um preso político” tendo em vista a seletividade com que atua a estrutura judicial do país.  “A urgência histórica é pautar mudanças no judiciário e no ministério público”, afirmou. Ao exemplificar a falta de revitalização do sistema judiciário, Custódio citou casos como o Massacre do Carandiru, a atual situação do presídio maranhense de Pedrinhas e a política de  guerra às drogas adotada no Brasil.
 
Outra questão ressaltada foi a desigualdade racial e de gênero no sistema de justiça. Em 2014, o censo do Poder Judiciário apontou que 64,1% dos juízes brasileiros são homens e 82,8%, brancos. No ano passado, o Conselho Nacional de Justiça aprovou que 20% das vagas sejam destinadas para candidatos negros (pretos e partos, segundo a classificação do IBGE) - um passo importante para aproximar essas instâncias e garantir a representatividade brasileira.

Organizado pela Conectas em parceria com Oboré e Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e apoio do Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP), o curso é um dos módulos do Projeto Repórter do Futuro, programa que contribui na formação de profissionais do jornalismo há mais de vinte anos.

Foto: O coordenador do Programa de Justiça da ONG Conectas (à direita), Rafael Custódio,  acompanhado do jornalista e coordenador do módulo, André Deak, em entrevista coletiva concedida aos estudantes do Repórter do Futuro]
 

Sobre o módulo 

 
Os 20 alunos selecionados participam de palestras e entrevistas coletivas com especialistas ao longo dos meses de setembro e outubro de 2016 e são desafiados a produzir matérias semanais sobre os conteúdos apresentados.
 
O curso combina a prática da cobertura jornalística com o conhecimento teórico e reflexivo sobre temas de direitos humanos: para que serve a ONU e a OEA e como o Brasil atua nestes espaços? Qual a arquitetura do nosso sistema de Justiça? Como o país define o que é crime e como este entendimento se reflete nos presídios brasileiros? Qual a situação dos direitos humanos nos países do chamado Sul Global? Qual o papel dos bancos públicos no financiamento de megaempreendimentos que ameaçam a vida de comunidades e o meio ambiente?


Próximos encontros:


8/10 | 9h às 14h
Financiamento público de grandes obras: regras para respeitar a vida e o meio ambiente
Caio Borges, advogado do programa de Empresas e Direitos Humanos da Conectas

15/10 | 9h às 14h
Comércio internacional de armas e direitos humanos: qual o papel do Brasil?.
Jefferson Nascimento, assessor de Política Externa da Conectas.

22/10 | 9h às 14h
Encerramento
Avaliação do curso e do desempenho dos alunos e entrega de certificados.


Mais informações: 
OBORÉ | www.obore.com
11. 2847.4567
reporterdofuturo@obore.com







 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online