Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2022 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Última Sessão Averroes de 2014 é marcada pela presença de jovens na Cinemateca Brasileira

  05/12/2014

A Sessão Averroes apresentou na última quarta-feira, dia 3 de dezembro, o filme Na Natureza Selvagem para os cerca de 200 convidados que encheram a sala BNDES da Cinemateca Brasileira. Após a exibição do longa, que tem 147 minutos de duração, o evento continuou com a Mesa de Reflexão. O debate se desenvolveu a partir de análises sobre o protagonista, o jovem Christopher McCandless, interpretado por Emile Hirsch. A atividade foi marcada pela presença de pessoas mais jovens, tanto na mesa como na plateia.
 
Assista ao trailer do filme aqui.
 
A médica Maria Goretti Salles Maciel esteve no comando da mesa ao lados de outros três convidados, o psicanalista Walmir Cedotti, o arquiteto Filipe Barreto e o artista plástico Paulinho Fluxus. Como o filme abre espaço para diversas discussões, os presentes expressaram diferentes opiniões, que em alguns momentos foram complementarem e em outros opostas.
 
A reflexão do Dr. Walmir Cedotti foi a partir de uma temática mais voltada para o lado da filosofia. Segundo ele, o filme mostra a busca de Christopher McCandless pela iniciação masculina, em um cenário no qual ele não se identifica com a figura paterna e vai atrás da própria identidade. Apesar de o jovem deixar o campo materno, o psicanalista defende que ele encontra a figura feminina no envolvimento com a mãe Terra e com a natureza.
 
O artista plástico Paulinho Fluxus optou por deixar suas impressões a partir de uma crítica ao modo que se vive na sociedade urbana, onde, segundo ele, existe a “ritualização da vida”. Embalado pelo filme, que destaca um trajetória incerta em busca da realização pessoal longe da civilização, ele fez os convidados pensarem se na cidade há espaço para sentir emoções profundas de autoconhecimento ou oportunidade de deixar o incerto acontecer. Sua conclusão foi de que o cotidiano na cidade não permite esse tipo de vivência.
 
Já o arquiteto Filipe Barreto usou um tripé formado pelos elementos sociedade, liberdade e felicidade para discorrer sobre o seu ponto de vista.  O que é a sociedade, quais são os limites da liberdade e por que buscamos a felicidade foram questionamentos colocados por ele. Barreto destaca o rompimento do protagonista com as relações humanas, mesmo com as que ele encontra ao longo da trajetória, e lembra que o personagem só sobreviveu por tanto tempo por causa das pessoas que encontrou, pessoas essas que tiveram compaixão.
 
Outro ponto interessante comentado pelo arquiteto é a morte, que, de acordo com a sua reflexão, aconteceu em dois momentos. A primeira, quando o personagem escreve a frase “A felicidade só é real quando compartilhada”, é a morte de Alex Supertamp (nome fictício inventado pelo jovem ao longo de sua fuga).  A segunda é a morte física de Christopher McCandless, que é consequência da trama.
 
Para Walmir Cedotti, o grande ensinamento do filme é que não é possível viver sozinho. O psicanalista ainda chama a atenção para a importância de viver junto com o outro,  “de preferência que o outro seja diferente, porque o diferente completa”.
 
Leia a seguir a opinião  dos convidados Paulinho Fluxus e Filipe Barreto sobre a atividade.
 
Eu acho fundamental esse espaço de reflexão, acho que foi muito positivo assistir o filme com esse olhar de pensar reflexões que interessem aos outros. Trouxe outro espaço de atenção, que eu acho que é o desafio que a Sessão Averroes tem colocado, de abrir esse espaço de tocar em questões profundas e poder falar em questões tão fundamentais da vida e da morte. O que eu acho que fica muito forte desse filme é a entrega pessoal e se colocar dentro de outros parâmetros que acabam tocando outras vidas. É esse desafio de estar inteiro e ser inteiro onde a gente estiver. (Paulinho Fluxus)
 
Eu acho que a experiência de falar aqui na mesa, além de superinteressante, foi um desafio para mim, porque não é um tema que eu estou acostumado a debater, mas que é muito próximo de mim. Ter a oportunidade de ouvir outra pessoa na posição de jovem, como eu, foi muito interessante, até para ver o quanto de sincronia existe nesse pensamento que está no ar, no espírito de cada geração. Mais legal ainda foi ver as diversas visões do filme, na visão do doutro [Walmir Cedotti], por exemplo, que é uma leitura completamente diferente do que eu podia imaginar sobre o entendimento do filme. É muito importante que a gente possa se reunir para discutir essa temática, apender a viver, aprender a morrer. (Filipe Barreto)
 
Mesa de Reflexão
 
Walmir Cedotti - psicanalista Clínico no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octávio Frias de Oliveira – ICESP. Sócio -Consultor da NEXE Brasil - The Way Of Change. Consultor em Desenvolvimento Humano para instituições públicas e privadas.
 
Filipe Barreto -  arquiteto e Urbanista pela  Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, trabalhou no Instituto Pólis - Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais e no Laboratório de Habitação e Assentamentos Humanos da FAU. Integra a equipe do Hospital Premier.
 
Paulinho Fluxus - formado em Artes Plásticas pela Escola de Comunicações e Artes da  USP, é promotor cultural, performer, ativista político e atua como criador de luz em concertos e espetáculos multimídia.
 
Maria Goretti Salles Maciel – médica de família, paliativista, presidente  da ANCP – Academia Nacional de Cuidados Paliativos, diretora do Instituto Paliar e diretora técnica do  Serviço de Cuidados Paliativos  do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo -  IAMSPE.
 

Sobre a Sessão Averroes
 
A SESSÃO AVERROES é destinada a profissionais e estudantes das áreas da medicina e da saúde, e também ao público em geral interessado em questões que tangenciam a vida, a morte, o envelhecimento e os cuidados na terminalidade da vida.
 
Trata-se de um programa permanente da Cinemateca Brasileira desde 2009, fruto de parceria entre Cinemateca, Hospital Premier/Grupo MAIS e OBORÉ. As sessões, batizadas em alusão a Averroes, considerado um dos pais da medicina, acontecem na última quarta-feira de cada mês, sempre às 19h00.
 
A atividade conta com apoio da Faculdade de Medicina de Itajubá (MG), do Instituto Paliar, da Academia Nacional de Cuidados Paliativos e da Coordenadoria de Políticas para Idosos da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo.  
 
 
 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online