Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2022 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Bruno Paes Manso fala sobre cobertura de segurança pública em São Paulo, no sábado (12/4)

  11/04/2014


O jornalista Bruno Paes Manso, autor do blog SP no Divã, publicado no jornal e portal O Estado de S.Paulo, é o convidado da sexta palestra/conferência de imprensa do 7º Curso Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter do Projeto Repórter do Futuro. Ele abordará o tema Segurança Pública, com foco na cobertura jornalística e no histórico da cidade de São Paulo. A palestra e a entrevista coletiva serão transmitidas ao vivo pelo Portal da Câmara no sábado, 12 de abril, das 9h às 13h.

 

Formado em economia pela Universidade de São Paulo (USP) e em jornalismo pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP), Paes Manso trabalhou por dez anos como repórter de O Estado de S. Paulo. Também atuou na revista Veja, e nos jornaisFolha da Tarde e Folha de S. Paulo. Atualmente faz pós-doutorado no Núcleo de Estudos da Violência da USP. Concluiu o mestrado e doutorado no departamento de Ciências Políticas da USP, onde pesquisou o crescimento e a queda dos homicídios em São Paulo. É autor do livro O Homem X - Uma reportagem sobre a alma do assassino em SP, que ganhou na categoria melhor livro-reportagem o 28º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, em 2006.

 

No dia 12 de fevereiro ele publicou em seu blog o post O Jornalismo não pode morrer, em que afirma que o "papel do bom jornalismo no aprimoramento de uma democracia são pelo menos dois: 1) Deve servir para contrabalancear e corrigir qualquer tipo de poder que esteja sendo exercido de forma distorcida. Pode ser o poder do Estado, de uma empresa privada ou de um indivíduo; 2) A segunda tarefa é proporcionar o autoconhecimento aos leitores sobre a sociedade em que vive. Costumo usar a imagem do analista como exemplo. Quando sentamos no divã, o objetivo é buscarmos nossas verdades. Falar sobre nossos medos, frustrações, conflitos e traumas. Essa é a solução para tentarmos nos compreender, aceitar e superar os defeitos que nos incomodam. Creio que as reportagens devam fazer seus mergulhos na cidade com esse olhar afastado. Buscar compreender os conflitos existentes, os ódios, frustrações e mazelas, como se toda a sociedade estivesse no analista, deitada em um divã, para falar de si mesmo."

 

No mesmo post, comentou a demissão do repórter André Caramante pela Folha de S.Paulo e fez um elogio público ao colega. "Não falei com ele e não quero entrar no mérito das decisões da empresa. Mas a sua cobertura permanente ao longo de mais de sete anos das denúncias de abusos policiais cumpriram esse papel na tentativa de controlar o poder desviante do Estado. Digo isso porque também cubro a área. E é recorrente vermos mães, cujos filhos foram criminalmente executados por policiais, correrem riscos de vida por saberem que a versão oficial é fantasiosa. Além do luto da perda, vivem a humilhação de se resignarem diante da injustiça e o risco real de serem assassinadas. Não vejo distorção mais grave do que essa."

 

Nesta quinta (10/4) ele publicou um post em que responde a nota oficial da Polícia Militar paulista, que o ataca de forma virulenta por ter feito críticas à corporação. No texto, Paes Manso rebate as afirmações e diz entender a resposta oficial como um convite público ao debate. "Finalmente, para encerrar, no final do ano passado, quando estive falando com policiais militares em um seminário sobre os protestos de junho, eles disseram que este ano haveria um debate sobre a desmilitarização da PM. Eu entendi na época que tinha sido convidado, postura, aliás, que me pareceu altamente positiva e democrática. Se o convite e os planos permanecerem de pé, podem contar comigo no debate."

 

Leia o post "Em nota ao UOL, a PM chamou a sociedade para o debate. Eu, humildemente, aceito o desafio", clicando neste link.

 

Sobre o curso

 

O curso, de complementacão universitária em jornalismo e gratuito, é realizado em parceria pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, OBORÉ Projetos Especiais e Abraji – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. Conta com o apoio do SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, Hospital Premier/MAIS – Modelo de Atenção Integral à Saúde, NH Photos/Nivaldo Silva, IPFD – Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais, e da coordenação dos principais cursos de Jornalismo de São Paulo, além das revistasSamuel, Brasil Atual, Caros Amigos, Fórum, Imprensa, Le Monde Diplomatique Brasil, Piauí e do blog O Xis da Questão – Mídia, Jornalismo e Atualidade, do Prof. Manuel Carlos Chaparro.

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online