Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2024 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Ocupação desordenada da cidade gerou problemas atuais, diz Nakano

  03/04/2014



O ex-diretor da Secretaria de Desenvolvimento Urbano de São Paulo Kazuo Nakano relacionou a ocupação irracional da cidade com os problemas históricos que a capital não conseguiu resolver, como o déficit habitacional e o crescimento caótico dos bairros – especialmente os periféricos. Em sua palestra/conferência de imprensa aos estudantes do 7º Curso Descobrir São Paulo – Descobrir-se Repórter, Nakano apresentou uma série de mapas com a evolução da moradia na metrópole a partir do final do século 18.
 
“São Paulo era uma cidade com menos de 50 mil habitantes. A industrialização acelerada e o incentivo à vida de migrantes de outras regiões do país e de imigrantes europeus e asiáticos transformou rapidamente a forma como a cidade crescia. Essa tendência se manteve durante praticamente todo o século 20. Em 100 anos, São Paulo multiplicou a população mais de 200 vezes e transformou problemas que poderiam ser pontuais em questões graves que desafiam os gestores públicos, profissionais de todas as áreas e a sociedade como um todo”, explicou.
 
Para visualizar e fazer o download dos mapas apresentados por Kazuo Nakano, clique neste link.
 
Arquiteto e urbanista em vias de concluir o doutorado em demografia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Kazuo Nakano se especializou no estudo dos problemas que o crescimento mal planejado das cidades acarreta ao meio ambiente e à qualidade de vida da população. Ele é mestre em Estruturas Urbanas e Ambientais pela USP (Universidade de São Paulo) e pós-graduado em Gestão Urbana e Ambiental pelo Instituto for Housing and Urban Development (IHS), de Roterdã, Holanda.
 
“A ocupação de São Paulo sem levar em conta o desenvolvimento da infraestrutura dos bairros que se formaram a partir de pequenos adensamentos gerou a necessidade de deslocamentos para trabalhar, acessar serviços de saúde, estudar e ter acesso ao lazer. Com o passar dos anos, as margens da cidade foram empurradas para o limite do município e ocupadas ou por migrantes e imigrantes pobres ou pelos excluídos”, disse.
 
Segundo Nakano, só a zona leste paulistana produz um movimento diário de ida e volta de uma população equivalente a do Uruguai. “São mais de 2 milhões de pessoas que atravessam distâncias imensas para trabalhar e estudar e, depois, retornam a suas casas. Não existe sistema de transporte capaz de absorver tamanho deslocamento nem como não provocar a situação que vivemos: congestionamentos o dia todo e colapso do Metrô e linhas de ônibus.”
 
Sobre o curso
 
O curso, de complementacão universitária em jornalismo e gratuito, é realizado em parceria pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, OBORÉ Projetos Especiais e Abraji – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, e conta com o apoio das coordenações dos principais cursos de jornalismo da cidade de São Paulo. Conta com o apoio do SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, Hospital Premier/MAIS – Modelo de Atenção Integral à Saúde, NH Photos/Nivaldo Silva, IPFD – Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais, e da coordenação dos principais cursos de Jornalismo de São Paulo, além das revistas Samuel, Brasil Atual, Caros Amigos, Fórum, Imprensa, Le Monde Diplomatique Brasil, Piauí e do blog O Xis da Questão – Mídia, Jornalismo e Atualidade, do Prof. Manuel Carlos Chaparro.
 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online