Sábado, 22 de Janeiro de 2022 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  David Braga Júnior aponta desafios da Saúde e critica cobertura da mídia

  17/03/2014



O médico David Braga Júnior, consultor da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Ministério da Saúde, falou aos estudantes do 7º Curso Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter do Projeto Repórter do Futuro sobre os atuais desafios do Brasil na Saúde.

 

Durante quase duas horas, Braga apresentou o conceito de atenção primária à Saúde – das origens, no pós-II Guerra  Mundial (1939-1945) à criação do Sistema Único de Saúde, em 1990 – e abordou as questões que desafiam o poder público na busca de efetividade, eficácia e equidade para estender o atendimento a toda a população.

 

"O envelhecimento da população é um dos problemas que o Brasil tem de enfrentar imediatamente, devido ao impacto que a diminuição da população jovem terá na sustentação do modelo de previdência", disse David Braga Júnior. "Com o estreitamento da base da pirâmide da população com menos de 30 anos e o alargamento da população idosa, acima de 65 anos, a pressão dos gastos com aposentadoria, somada ao aumento da expectativa de vida do brasileiro, tornarão inviável para o Estado pagar aposentadorias seguindo o atual modelo."

 


Defesa do SUS e crítica à cobertura da mídia

 

O Sistema Único de Saúde (SUS) foi outro tema abordado pelo médico, que também atuou na gestão pública como secretário de Saúde e diretor de Planejamento e Gestão de Campinas e Indaiatuba, cidades do interior paulista. "Quem critica o SUS deveria lembrar que o Brasil saltou da expectativa de vida de 45 anos nos anos 1950 para os atuais 74,6 anos. Em menos de seis décadas tivemos uma melhoria de 60,32% nesse indicador." Em 1990, ano em foi realizado Censo pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e criado o SUS, a esperança de vida ao nascer era de 66,9 anos. Em uma década, o brasileiro ganhou quase oito anos a mais de vida. "Sem a universalização da saúde, isso não teria acontecido. Imaginemos o que aconteceria se o SUS desaparecesse: imediatamente milhares de pessoas seriam jogadas nas ruas, sem atendimento. Um país cuja Constituição reconhece todos como cidadãos com direitos, é responsabilidade dos governos e da sociedade como um todo proteger o exercício do direito de acesso aos serviços de saúde à população pobre", disse Braga.

 

David Braga Júnior considera que os meios de comunicação tradicionais adotam uma cobertura errada nos temas ligados à área da Saúde.
"Muitas reportagens depreciam os serviços públicos por ignorância ou má fé. Faltam repórteres que conheçam a fundo as políticas públicas e que se disponham a ir aos bairros da periferia para ver de perto, por exemplo, trabalhos como o realizado pelo Programa Saúde da Família, que utiliza equipes multidisciplinares para atender a população. Ele vem obtendo resultados importantes."

 

Ele também citou o tratamento dado pela grande imprensa à contratação de médicos estrangeiros para trabalhar em municípios e bairros das capitais em que médicos brasileiros não querem atuar – particularmente os cubanos – como exemplo de cobertura com foco errado. "Em vez de discutir o tipo de formação que nossos médicos vêm recebendo, mercantilista e descompromissada com o interesse público, a mídia ecoa o preconceito das elites contra os pobres. Se médicos brasileiros se negam a trabalhar em áreas miseráveis, o governo deveria deixar quem não pode pagar plano de saúde morrer?"


Ouça a íntegra da palestra/conferência de imprensa com David Braga Jr.

 

Consulte arquivos utilizados por David Braga Jr. em sua palestra

 

Sobre o curso

 

O curso, de complementação universitária em jornalismo e gratuito, é realizado em parceria pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, OBORÉ Projetos Especiais e Abraji – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, e conta com o apoio das coordenações dos principais cursos de jornalismo da cidade de São Paulo. Conta com o apoio do SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, Hospital Premier/MAIS – Modelo de Atenção Integral à Saúde, NH Photos/Nivaldo Silva, IPFD – Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais, e da coordenação dos principais cursos de Jornalismo de São Paulo, além das revistas Samuel, Brasil Atual, Caros Amigos, Fórum, Imprensa, Le Monde Diplomatique Brasil, Piauí e do blog O Xis da Questão – Mídia, Jornalismo e Atualidade, do Prof. Manuel Carlos Chaparro.

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online