Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2022 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  José Américo cita jornalismo e literatura para explicar Plano Diretor

  10/03/2014





"Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo. Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e taquara, construídas à margem de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava apontar com o dedo."

 

Foi citando de cor o primeiro parágrafo de Cem Anos de Solidão, livro que deu ao escritor e jornalista colombiano Gabriel García Márquez o Prêmio Nobel de Literatura de 1971, que o jornalista José Américo, vereador e presidente da Câmara Municipal de São Paulo, iniciou sua Aula Magna na abertura do 7º Curso Descobrir São Paulo – Descobrir-se Repórter do Projeto Repórter do Futuro, em que falou de jornalismo, literatura e a revisão do Plano Diretor Estratégico da cidade de São Paulo.

 

José Américo citou também outro jornalista-escritor, Renato Pompeu de Toledo, que morreu no dia 9 de fevereiro, como exemplo de narrativa a ser conhecida pelos estudantes. "Renato escreveu um livro fundamental para quem quer conhecer a cidade e aprender a contá-la: São Paulo, a capital da solidão, disse Américo, relembrando seus tempos como professor de jornalismo. "Ler bons livros ajudar a formar bons jornalistas."

 

Em seguida, o presidente da Câmara traçou um breve histórico da formação da capital. "Durante 200 anos, a cidade de São Paulo teve a mesma população: 25 mil pessoas. No final do século 18, aqui viviam apenas 50 mil pessoas. A expansão da produção de café e a industrialização mudaram esse cenário. A cidade explodiu e surpreendeu os governantes", afirmou.

 

Segundo José Américo, o crescimento vertiginoso e sem planejamento se transformou em padrão. "A preocupação era atrair migrantes e imigrantes para acelerar o processo. O conceito de cidade contemplava apenas as áreas que ficavam entre o Centro e os rios Pinheiros e Tietê. Mas foi para além desses limites que São Paulo cresceu, com as novas áreas sendo ocupadas sem qualquer apoio do poder público. E esse padrão se impôs durante todo o século passado, fazendo das periferias áreas de exclusão e dos rios os canais por onde o esgoto industrial e da população escoava. A origem de nossos problemas começa antes: na colonização predatória e no escravismo. Nenhum país supera isso sem grande esforço", disse.

 

A partir dessa introdução, José Américo explicou a importância do Plano Diretor para a cidade. "Não podemos mais ser meros reféns do Deus mercado, que muitos defendem ser capaz de regular tudo sozinho. Vejam onde isso nos levou. Os problemas de São Paulo estão diretamente ligados à omissão de várias administrações que nunca levaram em conta as necessidades da população como um todo."

 

Audiências públicas

 

De acordo com ele, o debate da revisão do Plano Diretor tem envolvido a sociedade civil em audiências públicas. "A Câmara Municipal realizou 48 audiências, que reuniram milhares de pessoas. Nelas, foram colhidas propostas (mais de 200) que serão incorporadas ao texto substitutivo ao Projeto de Lei 688/2013 a ser votado pelos vereadores. Parece incrível, mas a mídia pouco noticiou esse processo. Mais do que nunca, precisamos democratizar o acesso à informação e de jornalistas comprometidos com o interesse público."

 

O jornalista Sergio Gomes, coordenador geral do Projeto Repórter do Futuro, participou da mesa ao lado de José Américo e dos coordenadores dos módulos Descobrir São Paulo, Milton Bellintani, e Pedro Ortiz, do módulo Descobrir a Amazônia - Descobrir-se Repórter. Serjão, como é conhecido, falou sobre as origens do projeto, criado há 20 anos. "A ideia original era simples: trabalhar com estudantes que queriam aprender jornalismo de verdade, na prática, numa época em que as faculdades estavam voltadas para dentro. Criamos o conceito de ponto final, em que 2 ou 3 estudantes tomavam um ônibus para um bairro distante de sua realidade para ouvir os moradores, saber de suas vidas e necessidades e fazer reportagens. O que mudou desde então? As faculdades só estimulam esse tipo de trabalho como exceção e não regra, e as grandes redações tiraram seus repórteres das ruas. É por isso que os jovens que acreditam num jornalismo de compromisso procuram iniciativas como o Repórter do Futuro."


Leia também

Projeto Repórter do Futuro lança site oficial do 7° Curso Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter

Em encontro de apresentação, Repórter do Futuro discute risco a jornalistas


 

Sobre o curso

 

O curso, de complementacão universitária em jornalismo e gratuito, é realizado em parceria pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, OBORÉ Projetos Especiais e Abraji – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, e conta com o apoio das coordenações dos principais cursos de jornalismo da cidade de São Paulo. Conta com o apoio do SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, Hospital Premier/MAIS – Modelo de Atenção Integral à Saúde, NH Photos/Nivaldo Silva, IPFD – Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais, e da coordenação dos principais cursos de Jornalismo de São Paulo, além das revistas Samuel, Brasil Atual, Caros Amigos, Fórum, Imprensa, Le Monde Diplomatique Brasil, Piauí e do blog O Xis da Questão – Mídia, Jornalismo e Atualidade, do Prof. Manuel Carlos Chaparro.


Conheça o site oficial do 7° Curso Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online