Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2024 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  12º Curso "Jornalismo em Situações de Conflito Armado" tem 100% de aprovação entre os estudantes
Texto: João Paulo Brito | Fotos: Nivaldo Silva
  05/11/2013



Segundo o relatório de avaliação do 12º Curso de Informação sobre Jornalismo em Situações de Conflito Armado e Outras Situações de Violência, produzido pela Secretaria-Executiva do Projeto Repórter do Futuro, o módulo recebeu aprovação de 100% dos estudantes que participaram dele. As respostas ficaram dividas entre “ótimo” (68%) e “bom” (32%).

O questionário com 16 perguntas enviado aos alunos em outubro, durante a última semana do curso, também procurou avaliar a qualidade das palestras/coletivas de imprensa, a coordenação pedagógica e o desempenho pessoal de cada estudante.

Quanto aos encontros (palestras, coletivas e conferências de imprensa), a percepção da maioria dos alunos foi de satisfação, apesar de algumas queixas: 51% “ótimo”, 36% “bom”, 12% “regular” e 1% “ruim”.

O jornalista João Paulo Charleaux realizou uma ótima coordenação pedagógica, segundo 95% dos entrevistados – uma pessoa (5%) deixou de assinalar este quesito.

No entanto, apenas 47% dos estudantes avaliaram que tiveram um “bom” desempenho no decorrer do curso. A maioria reconheceu uma performance “regular” (37%), “ruim” (5%) ou “péssima” (5%) – e, mais uma vez, um quesito sem resposta de um dos entrevistados.

O número de reembolsas – bolsa integral oferecida pela OBORÉ aos estudantes de todos os cursos do Projeto Repórter do Futuro -, também serve para mensurar o desempenho do grupo. Nesta edição do módulo, 35% não conseguiram cumprir todos os 4 itens do Pacto: não faltar aos encontros, produzir uma matéria por semana, ser atendido individualmente pelo coordenador e publicar matéria em um veículo com editor.

Pontos positivos e negativos

Os estudantes ainda foram convidados a elencar cinco pontos que consideraram positivos e negativos no módulo. Entre os pró: “Dinâmica do curso” (63%), “conteúdo/tema” (42%), “palestrantes” (42%), “contato com estudantes de outras faculdades” (32%) e “atendimentos individuais” (26%).

Nos contra: “curto tempo de duração do curso” (56%), “prazo curto para entrega das matérias semanais” (50%), “poucas opções de dias/horários para atendimentos individuais” (25%), “dias/horários do curso” (19%) e “instalações” (19%).

Confira o Relatório de Avaliação.

Confira os vídeos com a íntegra de cada encontro nos links abaixo:

Repórteres do Futuro sabatinam editor da Folha sobre cobertura em conflitos armados

No Repórter do Futuro, ex-coronel da PM fala sobre as normas a serem seguidas pela polícia no uso da força e de armas de fogo

Minustah e relação Exército-imprensa são temas do segundo encontro do curso “Jornalismo em conflito armado”

No Repórter do Futuro, consultor jurídico do CICV fala sobre as leis que regulam os conflitos armados

Leia também:

Curso Jornalismo em Situações de Conflito Armado encerra sua 12ª edição com presença de Felipe Donoso

Anunciados os 20 selecionados para o 12º “Jornalismo em Situações de Conflito Armado”

Encontro de Seleção para o 12º “Jornalismo em Conflito Armado” lota Sindicato dos Jornalistas

Sobre o curso

De agosto a outubro, o 12º Curso de Informação sobre Jornalismo em Situações de Conflito Armado e Outras Situações de Violência promoveu palestras e entrevistas coletivas com Tarciso Dal Maso Jardim, assessor legislativo e ex-consultor do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Cel. José Mateus Teixeira, oficial do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEX), André Vianna, Cel. da reserva da Polícia Militar de São Paulo, e Fábio Zanini, editor de Mundo da Folha de S.Paulo.

Com encontros sempre aos sábados pela manhã, no Centro de Imprensa/Redação-Escola da OBORÉ, os temas variaram desde questões jurídicas relacionadas à aplicação de normas em situações de conflito até a atuação dos jornalistas em situações de risco.

Este módulo do Projeto Repórter do Futuro é organizado pelo CICV, OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes e ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo.

Esta edição contou o apoio/patrocínio do SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, Memorial da América Latina, Câmara Municipal de São Paulo, Hospital Premier/MAIS – Modelo de Atenção Integral à Saúde, NH Photos/Nivaldo Silva, IPFD – Instituto de Pesquisa, Formação e Difusão em Políticas Públicas e Sociais, Matilha Cultural, Fora do Eixo/#posTV, KBR TEC Soluções Online e Coordenação dos principais Cursos de Jornalismo de São Paulo: ECA/USP – Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing, Faculdade Cásper Líbero, PUCSP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Universidade Metodista de São Paulo e Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Também emprestaram seu prestígio a esta iniciativa: revistas Samuel, Brasil Atual, Caros Amigos, Fórum, Imprensa, Le Monde Diplomatique Brasil, Piauí e o blog “O Xis da Questão – Mídia, Jornalismo e Atualidade”, do Prof. Chaparro.

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online