Terça-feira, 23 de Julho de 2024 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  Estudantes selecionados participam do Encontro de Confraternização e Apresentação do Descobrir São Paulo 2013
Texto: Luana Copini e João Paulo Brito/ Fotos: Nivaldo Silva e João Paulo Brito
  03/02/2013


Estudantes, coordenadores e apoiadores do 6° Curso “Descobrir São Paulo – Descobrir-se Repórter” reuniram-se neste sábado, dia 02, para um grande encontro de confraternização e apresentação.

O evento aconteceu das 8h30 às 13 horas, no Centro de Imprensa/Redação-Escola da OBORÉ (Rua Rego Freitas, 454, 8º andar) e na Matilha Cultural (Rua Rego Freitas, 542, auditório) e contou com a presença de Milton Bellintani, coordenador do módulo e diretor da Escola do Parlamento, Guilherme Alpendre e Sérgio Gomes, respectivamente, diretores da Abraji e da OBORÉ, Emerson Pinzindin, músico de rua, e do vereador José Police Neto, presidente da Câmara Municipal à época da assinatura da parceria com o legislativo paulistano. José Américo Dias, atual presidente da Câmara de Vereadores, ministrará a Aula Magna do curso, em 23 de fevereiro.

Os estudantes foram guiados da OBORÉ até a Matilha Cultural pelo som instrumental do saxofone do músico Pinzindin, que desde 1989 toca nas ruas da cidade. Emerson começou no vão do MASP passando a tocar, após cinco anos, no Belas Artes. Após este período atuou por mais 12 anos no Conjunto Nacional e hoje luta em defesa da liberdade de poder fazer música nas ruas, prática proibida  pela atual legislação. (Confira o vídeo do Pinzindin)

Para Bellintani, um dos objetivos deste módulo é promover a investigação dos principais problemas da cidade de São Paulo, e fazer com que jovens estudantes de jornalismo conheçam diferentes aspectos, necessidades e realidades da cidade, além de incentivar um olhar diferenciado e crítico sobre estas questões. O jornalista e professor acredita que este primeiro encontro é importante para que as dúvidas sejam esclarecidas e os jovens se sintam mais seguros ao iniciar o curso, sabendo sobre a metodologia e principalmente conhecendo uns aos outros.

“O trabalho aqui é individual, coletivo e cooperativo ao mesmo tempo”, afirma Sérgio Gomes. Para ele não é o curso que fará com que os estudantes sejam repórteres “os instrumentos são dados, mas cada um terá que pegar o ônibus e ir até o ponto final”. O jornalista e diretor da OBORÉ enfatiza que o curso dá as ferramentas necessárias para que os estudantes atuem como repórteres, mas que cabe a cada estudante passar por cada etapa do curso, além de ter a iniciativa de buscar, apurar, produzir e publicar cada matéria.

De acordo com Police Neto, o projeto tenta abrir para um conjunto de estudantes a ideia de que não existe uma única São Paulo. Segundo o vereador, este ambiente será onde os alunos irão conhecer as diferentes realidades da cidade, e poder assim produzir, pensar e consequentemente ajudar a mudar estas realidades. “É uma iniciativa que agrega e ajuda a cidade. Hoje é mais fácil jogar pedras no setor público ao invés de olhar para ele e saber o valor que ele deve ter. É necessário apontar os erros, mas num pensamento de mudança, afinal todos fazemos parte da cidade”, expõe o ex-presidente da Câmara Municipal.

Após as explicações dos coordenadores sobre a metodologia e diretrizes do módulo, os estudantes se apresentaram falando sobre suas expectativas e tiraram suas dúvidas acerca do curso.

Para Ricardo Rosseto, já veterano no Projeto Repórter do Futuro (em 2012, cursou  os módulos Descobrir São Paulo e Jornalismo em Situações de Conflito Armado), estudante de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero e estagiário na Câmara Municipal, este curso é uma boa oportunidade para conhecer o funcionamento da administração pública, os parlamentares que nos representam e, principalmente, os reais problemas e necessidades da capital paulista.

Já Tays Perez, aluna na Mackenzie diz que escolheu o curso por ele proporcionar oportunidade de conhecer diversos pontos de vista sobre as dinâmicas municipais. “Venho de Piracicaba, mas sempre gostei muito de São Paulo. No segundo semestre [da graduação] tivemos que fazer documentários sobre os problemas da cidade. Todos falavam apenas dos problemas daqui. Concordo que há problemas, mas aqui há muita diversidade. Escolhi o curso porque ele fala sobre a cidade que gosto e porque temos a oportunidade de conhecer os dois lados.”

Rodrigo Gomes, repórter na Brasil Atual e estudante da Anhembi Morumbi, e Roberto Bueno Mendes, aluno e estagiário da Metodista, acreditam que o curso será muito importante para poder dinamizar a questão centro-periferia. Da mesma forma, Debora Rezaghi, da Cásper Líbero, assim como Eduardo Rodrigues, outro estagiário da Câmara e aluno da Faculdade do Povo de São Paulo, concordam que o curso irá contribuir para não ficar no “lugar comum” quando abordarem as principais discussões da cidade em matérias jornalísticas. “Acho que o curso vai me dar ferramentas para cobrir com mais exatidão, principalmente, sobre acontecimentos em regiões que estão à margem da sociedade”, afirmou Rezaghi.

“Fiz o curso no ano passado e percebo que ele contribuiu para que eu me torna-se mais participativa tanto academicamente quanto no papel de cidadã, em relação à minha cidade”, diz Raquel Brandão, da São Judas, que cursou a quinta edição do Descobrir São Paulo, em 2012, e repete a dose este ano, em que a edição terá como tema principal o Plano Diretor Estratégico.


Sobre o curso

Por meio de conferências de imprensa e entrevistas coletivas, 32 estudantes terão a oportunidade de conhecer como funciona o Poder Legislativo paulistano, as propostas em debate para o Novo Plano Diretor de São Paulo – que define como, para onde e de que forma a cidade se desenvolverá -, os instrumentos de participação cidadã que podem influenciar o destino da capital e as propostas da Prefeitura, das organizações e redes da sociedade civil. O curso oferecerá, ainda, encontros com jornalistas e especialistas nos principais indicadores sociais sobre a cidade e também na técnica de Reportagem com Auxílio de Computador (RAC), utilizada para criar bancos de dados específicos para a realização de grandes reportagens.

As aulas acontecerão aos sábados, das 08h30 às 13h, na Câmara Municipal, nos dias 23 de fevereiro; 2, 9, 16 e 23 de março; 6, 13 e 27 de abril. Todos os encontros serão transmitidos online pelo site da Câmara. Os estudantes receberão certificados de participação que poderão ser computados pelas faculdades como horas de atividades complementares.

A metodologia aplicada ao curso é baseada no pacto de reembolsa, que é um critério adotado pela coordenação do Projeto Repórter do Futuro para medir o empenho e interesse dos participantes nos módulos.

Os estudantes, ao se matricularem, entregam um cheque pós-datado no valor estipulado e, se cumprirem todos os requisitos, retirarão seu cheque ao final do curso. Os requisitos são: comparecer em todos os encontros pré-datados do módulo; produzir uma matéria jornalística sobre cada Palestra/Entrevista Coletiva e enviá-la, até às 96h após o encontro (até quarta-feira, ao meio dia) para o e-mail: reporterdofuturo@obore.com; publicar, ao menos, uma matéria jornalística durante o curso sobre as atividades do projeto/módulo, em qualquer meio de comunicação (que tenha um editor responsável). Uma cópia física da matéria publicada deve ser entregue, até a data estipulada, na secretaria do curso.

De maio a setembro, como desdobramento deste curso, acontecerá outro módulo que constituirá do levantamento dos principais problemas dos 96 distritos da capital paulista e do mapeamento das formas de participação cidadã. Ao final, a Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo produzirá dois livros apresentando os conteúdos de ambos os módulos. O lançamento acontecerá em 25 de janeiro de 2014, no aniversário de 460 anos da cidade.

O curso de complementação universitária Descobrir São Paulo – Descobrir-se Repórter é um dos módulos do Projeto Repórter do Futuro, promovido pela OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes, em parceria com a ABRAJI – Associação Brasileiro de Jornalismo Investigativo e, desde 2011, com a Câmara Municipal de São Paulo, por meio da Escola do Parlamento.

Esta 6ª edição do módulo recebe apoio do SINPRO-SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação, NH Photos/Nivaldo Silva, KBR TEC Soluções Online, Premier Hospital/Grupo Mais e das coordenações dos cursos de jornalismo das seguintes faculdades de São Paulo: Cásper Líbero, PUC, ECA/USP, Mackenzie, Metodista e ESPM.

 O módulo tem como coordenador pedagógico Milton Bellintani, diretor executivo da Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo. Jornalista com mais de 25 anos de experiência, com passagens por revistas da Editora Abril, e jornal Folha de S. Paulo, entre outros. Também é professor de Jornalismo Cultural no curso de especialização da Cogeae/PUC-SP e Ombudsman da revista-laboratório “Contraponto”, do curso de graduação em jornalismo da PUC-SP.

Nos próximos dias, será divulgada a programação completa da 6ª edição do Descobrir São Paulo - Descobrir-se Repórter.

 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online